sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Equilibrista

Eu não seria o mesmo cara se eu tivesse me vendido
Há tantos momentos na vida que a gente se vê vencido
Que eu não sei se em algum deles eu pensei em desistir do projeto e dos sonhos que eu sonhei
Mas digo que eu sempre encontrei motivos para seguir
Mesmo cabisbaixo, às vezes desmotivado, não parei de acreditar
Nem vendi minh’alma ao diabo
Não vou mentir, não foram flores o tempo inteiro
Às vezes faltou dinheiro pra realizar alguns desejos
Mas o desejo maior não se paga, se conquista
E eu sou um equilibrista
Andando na corda bamba
Às vezes caindo no choro
Outras caindo no samba
Inspirando poesias e sendo inspirado também 
Agradecendo e torcendo para que os anjos digam amém 
É irrisório o preço pago pelo sonhador
Taxas e dividendos creditados no amor
Trata-se de um investimento,
e os juros são corrigidos no ato da contemplação,
E o extrato dessa conta
é retirado, a qualquer tempo, na agência do coração.

@xuniormatraga

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Canção para Cecília

Cecília não era alegre nem triste
Talvez Cecília fosse como eu sou
Há dias que o universo conspira contra
Mas a poesia está sempre a meu favor
Acontece que Cecília era poeta
Eu sou apenas versador.


@xuniormatraga

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Sem saída

Escrevo porque minh'alma implora
E a dor persiste
Para todo amor que demora 
E todo medo que insiste 
Escrevo para expurgar minhas memórias 
E entender o que em mim existe
Escrevo porque não tenho saída e preciso escrever
Escrevo por mim
Escrevo pra não enlouquecer.

@xuniormatraga

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Amor proclítico

Te amo
Com uma certeza estranha
de quem sabe sem entender
Da forma mais simples
e tamanha
Te amo em todos os porquês
E é um amor que de tal forma insiste
Que às vezes até duvido
que esse amor de fato existe.

@xuniormatraga




sábado, 6 de janeiro de 2018

Encontro

Hoje eu me encontrei com Deus
Uma luz, um clarão
Que me cegou por um instante, ofuscou minha visão
Não precisam acreditar
Foi num minuto descuidado ou por pena dos meus pecados
Deus olhou pro lado de cá
Perguntei-Lhe sobre esta vida torta, sobre esta história morna
Sobre a dor, sobre o amor...
Ele respondeu ligeiro,
tirando de Si a culpa,
parafraseando a gente, fez em mim servir a luva:
- Não sou Eu quem escreve certo por linhas tortas
Isso é invenção do homem,
da ilusão que ainda lhe resta.
Pois é o amor que escreve torto
por linhas que parecem certas.


@xuniormatraga

domingo, 24 de dezembro de 2017

Salvo conduto

A vida ainda existe
Nas esquinas da cidade
Debaixo dos viadutos
Driblando as dificuldades
Buscando salvo conduto
Falta liberdade, manifesta-se toda dor
Enquanto a alma insiste
No frio e sem cobertor
A vida ainda existe
Nas esquinas da cidade
Ausente de paz e amor.

@xuniormatraga

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

moeda de troca

eu não me alimento do ódio que você cultiva
eu sou feito de alma e pago em sorrisos qualquer desfeita
eu respiro paz, seja onde for
e minha única moeda de troca é o amor.

@xuniormatraga

Postagem em destaque

Equilibrista

Eu não seria o mesmo cara se eu tivesse me vendido Há tantos momentos na vida que a gente se vê vencido Que eu não sei se em algum dele...